Mais

    Cientistas estão desvendando as “fogueirinhas” do Sol

    O fenômeno solar diminuto é possivelmente causado pelo “cancelamento magnético”.

    Cientistas estão desvendando o mistério por trás de pequenas erupções solares chamadas “fogueirinhas.”

    Essas “fogueirinhas” foram descobertas em 2020, graças a imagens em close-up capturadas pela sonda Solar Orbiter da Agência Espacial Europeia. As fotos revelaram minúsculos lampejos de luz ultravioleta na superfície do Sol (vide notícia de 16/07/2020). Esses lampejos se assemelham a explosões solares maiores, como as erupções solares e ejeções de massa coronal, mas são milhões ou bilhões de vezes menores.

    A física solar Navdeep Panesar e sua equipe analisaram observações de 52 “fogueirinhas,” rastreando essas explosões desde o seu início. A equipe observou que cerca de 80% delas eram precedidas por uma estrutura escura, formada por plasma frio, como relatou Panesar em 9 de abril na Trienal Cúpula Terra-Sol.

    “Conforme esse plasma frio sobe, um brilho surge por baixo dele. Esse brilho se intensifica, formando uma espécie de fogueira solar”, explica Panesar, do Laboratório de Astrofísica Solar da Lockheed Martin em Palo Alto, Califórnia.

    “Esta imagem ultravioleta colorida artificialmente, capturada pela sonda Solar Orbiter da Agência Espacial Europeia em 30 de maio de 2020, mostra uma pequena erupção solar, como se fosse uma fogueira (seta branca). Para efeito de comparação, o contorno da Terra foi inserido na imagem, mostrando o tamanho minúsculo da erupção. (Equipe EUI/Solar Orbiter/ESA e NASA, CSL, IAS, MPS, WRC/PMOD, ROB, MSSL/UCL)”

    Tradução e Reescrição do Texto sobre Estruturas de Plasma no Sol:

    Essas estruturas impressionantes de plasma, chamadas “fogueiras solares”, também aparecem antes de outro fenômeno solar recorrente: as jಗಳ coronais. De acordo com Panesar, a descoberta indica que essas estruturas de plasma são mais comuns do que se pensava anteriormente. Além disso, a pesquisa sugere que muitas erupções solares – fogueiras, jಗಳ, flares e ejeções de massa coronal (CMEs) – têm uma origem semelhante.

    Flares e CMEs ocorrem quando linhas do campo magnético de polaridades opostas se entrelaçam e se aniquilam, liberando uma enorme quantidade de energia. Acredita-se que as fogueiras solares sejam produzidas por mecanismos parecidos, mas os cientistas ainda não compreendem o processo completamente.

    Como a temperatura das fogueiras solares varia entre meio milhão e 2,5 milhões de graus Celsius, elas provavelmente contribuem para aquecer a corona solar, que atinge a impressionante marca de um milhão de graus. Explicar a diferença drástica entre a temperatura da corona e a da superfície solar (cerca de 5.500°C) é um enigma que intriga os físicos solares há muito tempo (Nature News: 27/02/2020).

    Posts Recentes

    Relacionados

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Fique por dentro das novidades sobre tecnologia